GERAL

1- O X Rio Pro é uma competição de aventura para atletas nacionais e internacionais selecionados.

2- O evento começa com a data mais recente do check-in e termina com o fim da corrida

3 – A prova é produzida e organizada pela empresa: Air Max LTDA.

4 – Todas as decisões relativas à organização e execução do Evento são tomadas pelo Comitê de Prova.

5- O Comitê de Provas determina a seleção das equipes

6 – O próprio evento ou parte dele só pode ser cancelado pelo Comitê de Prova.

7- O Comitê da Prova tem o direito de alterar quaisquer regras e especificações antes e durante a prova sem aviso prévio.

8- Qualquer dúvida ou consulta ao Comitê de Prova antes do início da prova deve ser feita para [email protected]

9- Todas as equipes participantes aceitaram os Termos de Participação no aplicativo.

No caso de qualquer conflito entre estes Termos de Participação e o Livro de Regras, os Termos do Livro de Regras prevalecerão.

10 – O equipamento e a habilidade de pilotagem de ambos os atletas serão verificados pelo Comitê de Prova antes da prova.

11 – Atletas que não chegarem e fizerem o check-in no escritório da provas até a data do último check-in não terão permissão para iniciar a corrida. No caso de circunstâncias imprevistas, o Diretor de Prova deve ser informado imediatamente.

12- Todos os briefings de corrida são obrigatórios para atletas

13- Durante a corrida, o atleta deve pilotar seu parapente solo, caminhar e transportar o equipamento obrigatório (consulte a seção “Equipamento”) sem qualquer forma de assistência física a qualquer momento. Qualquer outra assistência de transporte, incluindo qualquer tipo de veículo voador motorizado, de terceiros é estritamente proibida.

Portanto, é altamente recomendável o uso de botas de montanhismo. Se um atleta estiver potencialmente em uma situação perigosa, o diretor de segurança se comunicará com o atleta, que deve conhecer a estratégia, o plano, o equipamento e o status atual do atleta. Se o atleta não puder garantir a segurança, a organização da corrida iniciará o resgate do atleta, o que resultará imediatamente na desqualificação do atleta da corrida!

14- Os atletas são obrigados a verificar o risco potencial como uma responsabilidade para si próprio, antes de voar ou durante as caminhadas.

15- Atletas são responsáveis ​​por instalar aplicativos de eventos relevantes para a corrida em seus telefones

16- O atleta é responsável por que seu dispositivo de rastreamento primário, dispositivo de rastreamento secundário e GPS Logger sejam sempre adequadamente mantidos, carregados e ligados durante os períodos de tempo obrigatórios durante a corrida.

17- Cada equipe deve estar preparada para verificações pontuais pelo Comitê de Corrida ou Organização da Corrida durante o Evento. Essas verificações no local irão inspecionar o equipamento das equipes e seu método de transporte ou movimento.

18- Qualquer atleta ou apoiante pode deixar o evento a qualquer momento, após informar o Comitê de Prova.

19 – Além das regras oficiais do Evento, qualquer Atleta ou Suporte que viole as leis e regulamentos locais, regionais ou nacionais, conforme definido pelos parques nacionais, autoridades locais ou organizações governamentais, será o único responsável. Aqueles que não cumprirem as regulamentações relevantes serão pessoalmente responsáveis ​​por quaisquer multas, punições ou repercussões de qualquer forma que possam resultar de suas ações.

A CORRIDA

20- A corrida começa na praia de São Conrado às 07:00 no sábado 07 de novembro e termina no domingo 08 de novembro às 12:00

20A- Os pontos de virada e a ordem dos pontos de virada serão determinados e passados ​​aos atletas pelo Comitê de Prova no Briefing, na sexta-feira 06 / novembro às 18:00 no início da prova na praia de São Conrado, levando em consideração a previsão do tempo e condições de vôo

21- Noite- Os Atletas devem fazer uma parada ininterrupta das 20:00 às 07:00, caso não termine a corrida no sábado 07 / Nov

22- Os atletas podem dormir em qualquer lugar. Mas é obrigatório avisar seu ponto final (onde o GPS Traker será desligado), no grupo Whatsapp da corrida, o local exato em que ele será reiniciado pela manhã, às 7:00 da manhã.

23- O desembarque na praia de São Conrado, é a linha de chegada oficial e determina a classificação final

24- A equipe é vista como tendo completado a corrida assim que o atleta chegou ao patamar em São Conrado

25- Uma tabela de resultados finais será montada assim que a corrida terminar. Os atletas são julgados de acordo com o tempo que levou para chegar na Área de Pousos de São Conrado, através de todos os pontos de mudança. Atletas com Turnpoints, em menor tempo, serão melhor classificados.

26- Todos os atletas com a mesma quantidade de Turnpoints passados ​​são classificados de acordo com a distância restante em linha reta desde a posição final até a meta, através de todos os Turnpoints restantes.

27- Todas as equipes, incluindo atletas retirados, devem participar da cerimônia e festa de entrega de prêmios

28- “Final da Corrida” será anunciado pelo Comitê de Provas, no máximo às 12:00 am no domingo 08 de novembro

Os atletas devem assinar uma placa situada em todos os pontos de virada

29- O atleta deve passar os Turnpoints na ordem e tipo anunciados pelo Comitê de Provas (“Rota da Prova”)

30- O dispositivo de rastreamento primário e o dispositivo de rastreamento secundário enviam informações ao site, onde a posição atual dos atletas será exibida (“Registro de trajetos ao vivo”)

O Live Track Log serve como uma confirmação de rota para os atletas e o Comitê de Prova.

31- O GPS Logger registra o movimento dos atletas (“Backup Track Log”).

O registro de rastreamento de backup deve mostrar um intervalo de amostra de 1 segundo, registrando todos os movimentos no solo e no ar.

O log de rastreamento de backup deve estar em execução no MAP DATUM: WGS 84.

O registro de rastreamento de backup deve ser armazenado no formato de arquivo IGC com um registro G.

32- A altitude de um atleta é verificada pela altura do GPS registrada no Live Track Log.

O registro de rastreamento de backup será usado para verificar uma violação e, em seguida, essa altura do GPS será usada como evidência

33- Um atleta deve ser capaz de documentar sua rota, apresentando um registro de backup completo e limpo. O Comitê de Provas entende “um Registro de Rastreamento de Backup completo e limpo” da seguinte maneira:

    • Cada vez que o track log é reiniciado, o atleta deve estar a 250 m de sua última posição gravada.

    • O registro de trilha não deve ter pontos de trilha ausentes por mais de 5 minutos.

    • No solo, uma velocidade superior a 5 m / s não deve aparecer por mais de 10 minutos.

    • Em vôo, uma velocidade superior a 20 m / s não deve aparecer por mais de 20 minutos.

    • O Live Track Log deve mostrar que nenhuma violação do espaço aéreo foi feita.

    • Se faltarem pontos de registro próximos a zonas proibidas e houver suspeita de violação do espaço aéreo, o Registro de rastreamento de backup deverá mostrar claramente que o espaço aéreo não foi violado

34- O Comitê de Prova se reserva o direito de inspecionar qualquer Registro de Pista de Backup de Atletas a qualquer momento.

35- Detecção de violações do espaço aéreo:

Se um ponto de rastreamento do Log de rastreamento de backup estiver dentro de um espaço aéreo proibido, isso será considerado uma violação do espaço aéreo.

Se a linha observada de dois pontos de rastreamento GPS consecutivos cruzar uma zona de exclusão aérea, isso será considerado uma violação do espaço aéreo.

36- Em caso de qualquer anormalidade no Live Track Log de um atleta, um ícone especial aparecerá no site.

37- Toda equipe é fortemente aconselhada a praticar o uso do dispositivo de rastreamento primário, dispositivo de rastreamento secundário e registrador GPS em condições de corrida antes do início da corrida, a fim de evitar problemas técnicos ou dificuldades durante o próprio evento.

EQUIPAMENTO

38 – É proibido o uso de parapentes com 16m² (superfície plana) ou menos, ou com uma carga de superfície superior a 6kg / m² (chamados planadores de velocidade).

39- Todo o equipamento de voo deve ser certificado e cumprir a edição mais recente dos seguintes padrões de certificação:

    • Parapente: EN 926-2 e 926-1 ou LTF 91/09

    • Arnês: EN 1651 com proteção certificada ou LTF 91/09

    • Sistema de resgate: EN 12491 ou capacete LTF 91/09: EN 966

    • 1 (um) dispositivo GPS que cumpre os requisitos para um “Registro de rastreamento de backup” descrito na seção “Documentação”. (“GPS Logger”)

    • 01 celular com Internet e serviço telefônico ativados

    • O equipamento oficial deve ser devolvido à organização da corrida após o evento, incluindo embalagem e todos os acessórios. Somente retornos completos podem ser aceitos. Conjuntos incompletos serão cobrados da equipe.

    • 01 câmera de vídeo com no mínimo 20 minutos de filmagem no final da corrida, deve ser apresentada. O não cumprimento dessas regras pode resultar em penalidade ou desqualificação da equipe

40- Se o Equipamento Oficial for danificado por acidente, a Organização da Corrida deve ser informada para trocá-lo por um novo.

41- Se o Equipamento Oficial for perdido ou roubado, os custos de um novo dispositivo serão totalmente cobrados à Equipe.

42- Nenhum item listado como Equipamento Obrigatório pode ser trocado durante a corrida. A única exceção é se o equipamento for danificado, roubado ou perdido, caso em que o Comitê de Provas deverá ser informado imediatamente.

43- No caso de um atleta fornecer uma asa delta: Mudar para a asa delta ou voltar para a asa-delta principal deve ser confirmada pelo Comitê de Prova

44- Jaqueta e calça à prova de vento e à prova d’água, chapéu, luvas, camadas quentes suficientes (superior e inferior), comida e água de emergência, farol, baterias sobressalentes, apito, cobertor prateado, kit de primeiros socorros são altamente recomendados

45 – Todo atleta tem que se certificar de que está usando iluminação ou refletores adequados para ser facilmente visível tanto da frente quanto da parte de trás quando estiver andando em vias públicas. Isso se aplica a condições de baixa visibilidade de qualquer tipo (à noite, na chuva, no nevoeiro), a fim de ser visível para outros usuários da estrada.

REGRAS DE VÔO

46- A rota percorrida deve ser rastreada pelo dispositivo de rastreamento primário, pelo dispositivo de rastreamento secundário e pelo GPS Logger.

47- Os atletas são obrigados a respeitar os regulamentos VFR (Visual Flight Rules). Qualquer atleta que violar as regras VFR assume total responsabilidade pelas conseqüências legais.

48 – Os atletas são obrigados a respeitar as zonas proibidas definidas pelo Comitê de Prova.

A notificação exata das zonas proibidas será realizada nos briefings da corrida.

49- O lançamento deve ser feito sem qualquer assistência. Segurar o parapente ou o atleta é permitido apenas por razões de segurança em peças estruturais pertencentes ao equipamento de vôo normal e deve ser segurado apenas à mão. Por exemplo. nenhum tipo de reboque do guincho é permitido

50- Apoiantes não são permitidos

51-A sobrecarga dos parapentes e dos sistemas de resgate usados ​​não é permitida (o peso da decolagem deve estar dentro da carga máxima certificada dos parapentes e do sistema de resgate usados).

52-Serão juízes em cada ponto de virada

Sanções

53-Desligar o dispositivo de rastreamento primário, o dispositivo de rastreamento secundário ou o GPS Logger durante a corrida será altamente penalizado até a desqualificação

54-Os atletas que não cumprirem com qualquer uma dessas regras estarão sujeitos a uma penalidade, conforme avaliado e a critério do Comitê de Prova.

55 – As penalidades devem variar de no mínimo 1 hora e no máximo, sendo a desqualificação uma opção.

56 – As penalidades estão sujeitas a uma decisão final pelo Comitê de Provas.

57 – Se um atleta recebe uma penalidade de tempo, que é maior que a duração restante da corrida, o atleta será classificado de acordo com a sua localização, retornando pelo tempo restante da penalidade.

58-O Comitê de Prova reserva-se o direito de aplicar penalidades e desqualificar um atleta que age de forma irresponsável em relação à sua própria segurança, aos outros ou ao esporte, à Organização do Evento ou aos patrocinadores relacionados.

59 – É obrigatório a todos os atletas inscritos na prova XRio, ter posse de atestado médico para a prática esportiva, e carregar consigo, inclusive durante a prova, o cartão do plano de saúde pessoal com validade no território Brasileiro e seguro de danos a terceiros, com especifico para a prática de esportes aéreos (voo livre, paraquedismo, basejump, paragliding, e outros)

A responsabilidade com danos causados à si mesmo, ou a terceiros, é de exclusiva e total responsabilidade do atleta que assina esse termo, excluindo totalmente a organização do evento, assim como seus responsáveis e contratados, de qualquer responsabilidade em relação a acidentes ou até mesmo morte dos participantes do XRio Hike and Fly.
O Paragliding é um esporte que envolve riscos, e o assinante deste termo, confirma saber e concordar com a prática da modalidade, mesmo sabendo dos riscos envolvidos.

ESPERAMOS QUE VOCÊ TENHA UMA GRANDE PROVA